segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Rita Ribeiro festeja 7 anos de Tecnomacumba

Com certa antecedência segue a dica do show em comemoração aos 7 anos do belo projeto de Rita Ribeiro, Tecnomacumba.
“A comemoração desse aniversário não poderia deixar de acontecer. O esoterismo nos diz que o número sete é mágico e transformador. Sete são os dias da semana. Sete são os pecados capitais. Sete são as virtudes. Sete são os sacramentos. Deus teria feito o mundo em seis dias, descansando no sétimo. E sete, claro, são as notas musicais. Logo, sete anos de Tecnomacumba, que é uma intervenção cultural que mistura música popular brasileira e religiosidade ancestral, não poderiam passar em branco, principalmente porque são sete anos de sucesso!”, explica Rita Ribeiro
.
Para abrilhantar a festa, a cantora maranhense convidou dois artistas cujos trabalhos têm bastante identificação com a intervenção cultural que vem fazendo há sete anos e, mais ainda, com sua carreira como um todo – Zeca Baleiro e Chico César. “Admiro os dois. Começamos nossas carreiras praticamente na mesma época em São Paulo. Dividimos dores e delícias antes de aparecermos para o grande público, claro que guardadas as devidas proporções. E bem antes de Zeca e Chico serem disputados por intérpretes famosas da MPB, eu já cantava suas músicas em shows de São Paulo”, justifica.
As novidades não param por aí. Rita Ribeiro renovou, em parte, o repertório do show: às conhecidas releituras de pérolas da MPB que fazem referência à religiosidade de matriz africana, a cantora acrescentou a canção de domínio público Mamãe Oxum, já gravada por Zeca Baleiro e Caxambu, que já foi sucesso na voz de Almir Guineto.
Tecnomacumba vem encantando plateias em todo Brasil com sua fusão de MPB, batuques dos terreiros de Candomblé e beats eletrônicos. Ele Já foi visto por mais de 500 mil pessoas.

7 anos de Tecnomacumba - Rita Ribeiro com participações de Chico César e o Zeca Baleiro
04 de fevereiro de 2011
Às 22h
HSBC Brasil
R. Bragança Paulista, 1281 - Chácara Santo Antônio, SP
Ingressos: R$ 40 a R$ 80

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Abutres

Abutres se passa na Argentina e conta a história de advogados que procuram as vítimas de trânsito para tirar a maior indenização possível das seguradoras e ficar com uma gorda comissão.
Ricardo Darín vive Hector Sosa, um advogado especialista em lucrar com esse mercado. O próprio Sosa chega a simular acidentes para obter indenizações.
Porém quando se apaixona por Luján (Martina Gusman) uma jovem médica que cuida dos feridos em acidentes ele passa a repensar seu trabalho.
Daí é que surge algumas questões: O amor pode mudar alguém? A ética profissional pode ser quebrada para atender quem se ama?
Luján ajuda Sosa a conseguir mais clientes e sofre conseqüências por sua ajuda. Sosa por sua vez aumenta ainda mais seu problema, pois em vez de conseguir sair deste negócio ele arruma mais problemas ao rever seu antigo sócio.
O filme alterna bons momentos de tensão com outros de drama pessoais dos personagens.
Gostaria que fosse com mais ação, haja vista que o tema e os dilemas possibilitam maior agilidade das câmeras como ocorre em situações importantes do longa.
O desfecho me agradou muito. Vá preparado para algumas cenas fortes, mas que trazem bastante veracidade ao filme.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Programa Petrobras Cultural

A Petrobras vai destinar R$ 52,2 milhões a projetos de diversos segmentos culturais, provenientes de todas as regiões do país. As inscrições para as áreas de Festivais de música, Festivais de cinema e Difusão de longa-metragem estão abertas até 21 de janeiro de 2011.
O Programa Petrobras Cultural (PPC) vem fundamentar a atuação da empresa em torno de uma política cultural de alcance social e de afirmação da identidade brasileira. Uma das principais modalidades de escolha de projetos do PPC é a Seleção Pública.
Através da Seleção Pública do Programa Petrobras Cultural, oferece à sociedade brasileira um programa de patrocínio a projetos culturais marcado pela consistência, abrangência e continuidade da sua proposta. Estruturado de forma a atingir todas as etapas da cadeia produtiva da economia da cultura, contempla iniciativas que vão desde a etapa de pré-produção até a do consumo final dos bens e serviços culturais, ativos intangíveis da economia nacional. Outro ponto de destaque é a sua articulação com as políticas públicas voltadas para o setor, com o propósito de unir forças com o Ministério da Cultura no atendimento às demandas dos agentes culturais - artistas, produtores, fornecedores, pesquisadores e público fruidor.
O Programa Petrobras Cultural (PPC) tem como objetivo:
- estimular a realização de projetos de interesse público, fora da evidência do mercado e que contemplem a cultura brasileira em toda a sua diversidade étnica e regional;
- abrir espaço para a criação, estimulando não só o fazer artístico, mas também a ampliação das oportunidades de circulação e de fruição dos bens culturais;
- consolidar o trabalho de resgate, recuperação e organização do acervo material e imaterial da cultura brasileira, priorizando aqueles em situação de risco, e buscando ampliar a oportunidade de acesso público a esses acervos;
- contribuir para a formação de públicos, talentos e técnicos para o setor, fomentando iniciativas educacionais no âmbito da produção cultural;
- estimular a reflexão sobre a cultura e o pensamento brasileiros;
- contribuir para uma melhoria do quadro geral da cultura nacional e para a afirmação da cultura como direito social básico do cidadão.


Veja alguns valores disponíveis:

LINHA DE ATUAÇÃO: PRESERVAÇÃO E MEMÓRIA
Memória das Artes
Verba total para o setor: R$ 3 milhões
Valor máximo por projeto: R$ 500 mil
Apoio a Museus, Arquivos e Bibliotecas
Verba total para o setor: R$ 4 milhões
Valor máximo por projeto: R$ 700 mil

LINHA DE ATUAÇÃO: PRODUÇÃO E DIFUSÃO
Artes Cênicas
Verba total para o setor: R$ 14,6 milhões
Manutenção de grupos e companhias de teatro
Valor máximo por projeto (para dois anos) – faixa 1: R$ 1,4 milhão
Valor máximo por projeto (para dois anos) – faixa 2: R$ 1 milhão
Valor máximo por projeto (para dois anos) – faixa 3: R$ 600 mil
Manutenção de grupos e companhias de dança
Valor máximo por projeto (para dois anos) – faixa 1: R$ 1,4 milhão
Valor máximo por projeto (para dois anos) – faixa 2: R$ 1 milhão
Valor máximo por projeto (para dois anos) – faixa 3: R$ 600 mil
Manutenção de grupos, companhias e trupes circenses
Valor máximo por projeto (para dois anos) – faixa 1: R$ 800 mil
Valor máximo por projeto (para dois anos) – faixa 2: R$ 400 mil
Valor máximo por projeto (para dois anos) – faixa 3: R$ 200 mil

Audiovisual
Verta total para o setor: R$ 27,2 milhões
Valores máximos por projeto:
Festivais de Cinema
Valor máximo por projeto: R$ 300 mil
Difusão de longa-metragem para salas de cinema
Valor máximo por projeto: R$ 400 mil
Produção de longa-metragem em 35 mm
Os projetos de produção de ficção ou animação poderão solicitar patrocínio com valores máximos dentro das faixas estabelecidas abaixo, de acordo com a classificação da empresa produtora na Ancine:
Até R$ 600.000,00 (seiscentos mil reais) –
empresa a partir do nível 2
Até R$ 800.000,00 (oitocentos mil reais) –
empresa a partir do nível 4
Até R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais) –
empresa a partir do nível 5
Até R$ 1.500.000,00 (um milhão e quinhentos mil reais) –
empresa a partir do nível 6
Projetos para produção de filmes documentários só poderão solicitar patrocínio de até R$ 800.000,00 (oitocentos mil reais).
Produção de curta-metragem em 35 mm
Valor máximo por projeto: R$ 80 mil
Produção de longa-metragem digital
Valor máximo por projeto: R$ 600 mil
Produção de curta-metragem digital
Valor máximo por projeto: 60 mil

Cultura Digital
Verba total para o setor: R$ 2,2 milhões
Apoio ao aprimoramento de websites já existentes
Valor máximo por projeto:R$ 150 mil
Eventos de artes eletrônicas e cultura digital
Valor máximo por projeto: R$ 200 mil

Literatura
Valor total para o setor: R$ 810 mil
Criação literária: ficção e poesia
Valor máximo por projeto: R$ 54 mil

Música
Valor total para o setor: R$ 4,4 milhões
Turnês de shows/concertos
Valor máximo por projeto: R$ 400 mil
Gravação de CD
Valor máximo por projeto: R$ 200 mil
Gravação para disponibilização pela internet
Valor máximo por projeto: R$ 50 mil

Veja as informações completas no site Programa Petrobras Cultural

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Para Ver As Meninas no Pirajá

Moacyr Luz que em agosto lançou o livro Pirajá: Uma esquina carioca, volta ao mesmo bar com novo projeto.
O Para Ver As Meninas será comandado por Moa e em sua edição ele convidou Ana Costa, Mariana Baltar, Verônica Ferriani, Gabriel da Muda (ou Cavalcante), Renato Martins e Carlinhos Sete Cordas.
Moacyr Luz que já teve suas composições gravadas por Leila Pinheiro, Maria Betânia, Gilberto Gil, Nana Caymmi, entre outros. E mais recentemente por Zeca Pagodinho que gravou Vida da minha vida faixa-título do seu mais recente CD, o que me faz crer que Luz deve obter maior popularidade tamanho o apelo de Zeca.
É evidente que os destaques são as cantoras. Ana Costa que já foi indicada a melhor cantora de samba e melhor cantora no voto popular (Prêmio da Música Brasileira). Mariana Baltar além de ótima cantora é bailarina e também uma das sócio-fundadoras do Centro Cultural Carioca. E ainda Verônica Ferriani, considerada por Nelson Motta uma das mais belas vozes da nova geração. Mas quero comentar sobre outros dois boêmios: Gabriel da Muda e Renato Martins.
O primeiro fará show de lançamento de seu primeiro CD O Que Vai Ficar Pelo Salão, dia 09 no teatro Rival no Rio. Criador do Samba do Ouvidor e integrante do Samba do Trabalhador. Gabriel com sua voz poderosa e rápidos versos prometem um show a parte. Já Martins é integrante do ótimo Terreiro Grande e tem se mostrado grande compositor ao lado de seu parceiro Roberto Didio que também foram gravados por Cavalcante. Outro trabalho da dupla Martins/Didio é o CD Cidade das Noites com a linda voz de Anabela.
Só vai faltar o Maracujá da Bar do Alemão! Mas o Pirajá com certeza tem várias bebidas e petiscos da baixa gastronomia que compensarão essa falta!

Para Ver As Meninas
Moacyr Luz, Ana Costa, Mariana Baltar, Verônica Ferriani, Gabriel da Muda (ou Cavalcante), Renato Martins e Carlinhos Sete Cordas
Pirajá
Avenida Brigadeiro Faria Lima, 64 - Pinheiros, São Paulo
(11) 3815-6881

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Passeios Natalinos

As dicas de hoje reúnem a oportunidade de descobrir ou redescobrir São Paulo e ainda poder ver as belas decorações natalinas na cidade.
A Prefeitura de São Paulo, em parceria com a São Paulo Turismo (SPTuris), promove passeios turístico-culturais acompanhados por guias que explicam a história e a decoração da cidade.
Os visitantes terão a oportunidade de descobrir as decorações da Avenida Paulista e a assistir a apresentação da Fonte Iluminada, no Parque Ibirapuera, além de vivenciar o clima natalino que toma conta da cidade.
Itinerário
Saída: em frente ao Centro Cultural São Paulo
Primeira Parada: Avenida Paulista - visitação das atrações liberada ao passageiro durante uma hora
Segunda Parada: Parque Ibirapuera - visitação da Árvore de Natal e apresentação da Fonte Iluminada
Chegada: Centro Cultural São Paulo

Já a segunda dica é o Turismetrô, consagrado programa de roteiros turísticos populares que usa o metrô como meio de transporte, oferecido também pela São Paulo Turismo (SPTuris) em parceria com a Companhia do Metropolitano de São Paulo, apresenta um roteiro especial de Natal nos finais de semana de dezembro.
O passeio convida à visitação à pé em pontos decorados para as festas de fim de ano, como o Pateo do Colégio, o Museu de Arte Sacra e a Avenida Paulista.
Guias bilíngues acompanham o grupo, de até 25 pessoas, aos pontos de interesse, onde acontecem intervenções artísticas programadas que explicam a história e as tradições da cidade.
Itinerário
Embarque na estação Sé com destino à estação Vale do Anhangabaú
Caminhada sentido Shopping Light: explanação sobre Shopping Light, Theatro Municipal, Vale do Anhangabaú e sede da Prefeitura
Caminhada sentido Largo de São Francisco: explanação e visita ao Largo de São Francisco
Caminhada sentido estação Sé
Embarque sentido estação Tiradentes
Desembarque e caminhada sentido Museu de Arte Sacra
Visita Museu de Arte Sacra
Caminhada sentido estação Tiradentes
Embarque sentido estação Consolação
Desembarque e explanação sobre a tradição da decoração natalina na Avenida Paulista, Shopping Center 3
Caminhada ao Conjunto Nacional: visita e intervenção teatral

Roteiro Turístico Natal Iluminado 2010
De 04 a 23 de dezembro
Horário: a partir das 18h30
Chegada prevista: 23h30
Ponto de partida: Centro Cultural São Paulo (Rua Vergueiro, 1000 – próximo à estação de metrô Vergueiro)
Preço: R$ 10
Tel.: (11) 3331-7786
Vendas das 9h às 18h, nas Centrais de Informações Turísticas Olido (Avenida São João, 473) e Paulista (Avenida Paulista, 1853 – Parque Prefeito Mário Covas)

Turismetrô Especial de Natal
Data: 04, 05, 11, 12, 18, 19 e 26 de dezembro de 2010
Horários: 16h
Ponto de partida: Estação Sé do Metrô
Preço: R$ 7,95 (3 bilhetes de metrô)
Onde comprar: guichê do Turismetrô na Estação Sé
OBS: Em caso de chuva, o roteiro é cancelado.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Mostra do Audiovisual Paulista

A Mostra do Audiovisual Paulista começa na próxima segunda-feira (06/12) e vai até domingo (12/12), exibindo gratuitamente mais de 250 filmes em 28 salas diferentes de São Paulo e de quatro cidades próximas - Jundiaí, Diadema, Várzea Paulista e Santo André.
A Mostra, criada em 1987 e que reúne exclusivamente obras produzidas no estado de São Paulo, apresenta curtas-metragens, documentários, séries de TV, videoclipes, making ofs, filmes para celular, vinhetas e performances musicais.
Nesta 22ª edição, o destaque fica por conta dos curtas-metragens Timing (de Amir Admoni), protagonizado por Caco Ciocler, além dos premiados Bailão (de Marcelo Caetano) e Avós (de Michael Wahrmann). E a crescente produção audiovisual de outras cidades do estado estará presente na sessão Foco Interior, trazendo mais de 20 títulos.
Algumas estreias também marcam a Mostra do Audiovisual Paulista, como a dos curtas A Fábula das Três Avós, de Daniel Turini, Máscara Negra, de René Brasil, Strip Triste, de Francisco Garcia, e Passeio de Família, de Maria Clara Escobar. Além da exibição inédita dos making ofs de As Melhores Coisas do Mundo, longa de Laís Bodansky que foi visto por 280 mil espectadores nos cinemas, e Trabalhar Cansa, da dupla Marco Dutra e Juliana Rojas.
Os videoclipes de destaque são Nassíria e Najav, da cantora Karina Buhr, e Lagartixa, parte do DVD de animação do projeto infantil Pequeno Cidadão, formado por Arnaldo Antunes, Edgard Scandurra, Taciana Barros e Antonio Pinto. Serão apresentados também episódios do Compacto, videocast produzido pela Petrobras e que reúne no estúdio músicos para cantarem e conversarem. Música de Bolso, criada pela Ioiô Filmes, é outro projeto virtual que traz apresentações exclusiva de artistas como Mallu Magalhães e Wander Wildner.
O homenageado deste ano é Carlos Nader, artista paulistano que transita do documentário clássico à videoarte e é considerado um dos mais criativos ensaístas do audiovisual brasileiro. Serão exibidas 11 obras do autor.

De 06 até 12 de dezembro
Grátis

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Dia Nacional do Samba em Sampa

O Samba teve o seu Dia Nacional - 02 de dezembro - instituído em 1963 e surgiu por iniciativa de um vereador baiano, Luis Monteiro da Costa, para homenagear Ary Barroso. Este que já tinha composto seu sucesso Na Baixa do Sapateiro, mas nunca havia posto os pés na Bahia. E foi nesta data que ele visitou Salvador pela primeira vez.
Selecionei dois eventos que acontecerão na capital paulista em comemoração ao Dia Nacional do Samba.
Na Praça da Luz haverá um show gratuito em homenagem ao centenário do compositor Adoniran Barbosa no próximo dia 30, às 19 horas. A homenagem é da Prefeitura de São Paulo, por meio da São Paulo Turismo (SPTuris), empresa municipal de promoção turística e eventos.
Os artistas convidados são Alcione, Arlindo Cruz, Carlinhos Vergueiro, Demônios da Garoa, Diogo Nogueira, Dudu Nobre, Eduardo Gudin, Fabiana Cozza, Hamilton de Holanda, Jair Rodrigues, Jorge Aragão, Leci Brandão, Maestro Ivan Paulo, Mariana Aydar, Paulo Vanzolini e Renato Braz.
O palco terá 143 m² e para que todos tenham melhor visualização de todo o espetáculo, será instalado um telão que transmitirá as imagens do show. Com 50 mil watts de potência, o som também deverá surpreender os presentes.
Serão utilizados 600 metros de grades para isolamento, 100 metros de tapume e 200 barreiras anti-pânico. A segurança será feita por cerca de 40 profissionais, entre brigadistas e seguranças privados, além do apoio da Polícia Militar. Duas ambulâncias (remoção e UTI) e dois postos médicos estarão disponíveis no local.
Já no dia 04 de dezembro a Praça Roosevelt festejará com Quinteto em Branco e Preto, Fabiana Cozza, Velha Guarda da Camisa Verde e Branco entre outros, no Bar Você Vai Se Quiser.


Praça da Luz
São Paulo
Dia 30 de novembro - Terça-feira
A partir das 19h
Grátis

Quinteto em Branco e Preto, Fabiana Cozza, V.G. Camisa Verde e Branco
Dia 04 de dezembro - sábado
A partir das 16h
Bar Você Vai Se Quiser
Rua João Guimarães Rosa, 241
Praça Roosevelt - São Paulo
Grátis

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Noel Rosa – Um Novo Século

A partir de amanhã, o Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo (CCBB-SP) realiza o projeto Noel Rosa – Um Novo Século, em homenagem ao centenário de um dos maiores compositores da música popular brasileira. Com curadoria e direção artística do músico Luís Filipe de Lima, os espetáculos têm participações de Paulo Miklos, Marina de la Riva, Jards Macalé, Quinteto em Branco e Preto, Arto Lindsay, Kassin, Moreno Veloso, Domenico Lancelotti, Pedro Sá, Benjamim Taubkin e do grupo Brasøv, que fazem verdadeiros encontros musicais semanais, relembrando as principais obras de Noel.
Além das canções clássicas, o público irá presenciar encontros inusitados, como, por exemplo, a parceria entre Paulo Miklos e Quinteto em Branco e Preto ou Marina de La Riva dividindo o palco com Benjamin Taubkin. O curador do projeto, Luís Filipe de Lima explica como foram escolhidos os artistas e os respectivos duetos: “nosso objetivo foi selecionar artistas que possuíssem estilos de certa forma distantes do samba e da musicalidade de Noel. Decidimos não fazer escolhas óbvias para reforçar assim o caráter contemporâneo das obras, que são abertas a interpretações atuais em todos os tipos de estilos”.
A série musical “Noel Rosa – Um Novo Século”, convida alguns artistas a prestarem homenagem, por meio da releitura das obras, a esse profícuo compositor, que em apenas 26 anos de vida compôs mais de 300 músicas, das quais cerca de sessenta são lembradas nas apresentações. Com esse ciclo de música o CCBB oferece ao público um panorama do que foi a obra de Noel por meio de suas composições mais populares (re)vistas por criativos músicos contemporâneos.
Na opinião de muitos historiadores, críticos, artistas e pensadores de nosso país, Noel Rosa é o mais importante compositor da história da música popular brasileira. De uma importância que pode ser resumida em duas palavras: transformação e integração. A transformação empreendida por Noel Rosa nos anos de 1930 diz respeito à lírica da canção popular. Antes, a letra coloquial, anedótica, debochada, satírica, confinava-se aos limites da canção carnavalesca. As letras ditas "sérias", principalmente as de cunho romântico, perdiam-se em preciosismos, em imagens parnasianas, em exageros poéticos.
Foi Noel Rosa quem demonstrou — com suas letras inspiradas no linguajar do povo, nos episódios do dia-a-dia, nos personagens de sua cidade, nos temas de sua época e ao mesmo tempo de todas as épocas, como os maus governos, a falta de dinheiro, a fome, o crime, a mendicância, a marginalidade, a boêmia — que tudo cabe numa canção "séria", ainda que haja lugar também para o humor e a crítica irreverente. É verdade que, nessa transformação, ele não esteve sozinho. Mas nenhum de seus contemporâneos levou tão longe sua proposta: até em suas canções de amor, Noel desce das alturas do poeta derramado para o chão do homem comum. A letra de música torna-se, definitivamente, outra forma de arte depois dele.
Quanto à integração, refere-se às conscientes viagens que realizou morro acima (Mangueira, Salgueiro, São Carlos, Serrinha, Gamboa, Favela), atrás dos compositores negros responsáveis, nos anos 20 e 30, pelo melhor samba carioca. Noel tornou-se parceiro deles e, como nenhum outro, integrou-se à estética de cada um. Numa época em que parcerias interraciais praticamente inexistiam, o jovem branco, culto, da classe média de Vila Isabel, se uniria a nada menos de treze sambistas de morro (entre os quais Cartola, Bide e Antenor Gargalhada) para enriquecer a música deles e, principalmente, a sua própria. Com isso, seus sambas tornam-se modelos da grande canção popular que se consolidou na chamada Época de Ouro da música brasileira (1930-1945).
Para além de sua geração, Noel serviu de padrão à produção de muitos compositores brasileiros, de diversas épocas e extrações – basta lembrar, entre tantos outros, de Chico Buarque, Tom Jobim, Paulo César Pinheiro, Aldir Blanc, Lupicínio Rodrigues, João Nogueira, Paulo Vanzolini e Dorival Caymmi. É, nessa medida, uma das principais matrizes da canção brasileira. Sua obra, atemporal e dotada de imenso poder de comunicação, tem sido alvo de permanentes ciclos de redescoberta entre o público jovem. Por tudo isso, é imperativo celebrar o centenário de Noel Rosa, não apenas pela evidência da efeméride, mas sobretudo pela necessidade permanente de realimentar o cenário musical brasileiro com aquela que é uma das suas principais fontes.
PROGRAMAÇÃO
Dia 23 de novembro – Jards Macalé e Brasøv
Macalé, entre outras canções, vai interpretar “Cor de cinza” e “O último desejo” enquanto o Brasov vai dar sua versão para “Onde está a Honestidade”, “Com que Roupa” e o “Gago Apaixonado”.
Dia 30 de novembro – Paulo Miklos e Quinteto em Branco e Preto
O encontro elenca alguns dos maiores sucessos de Noel e realça o caráter atemporal de sua poesia, seu humor ácido, a crítica de costumes que permanece ferina e precisa. No repertório desse show estão, entre outras músicas, “Palpite Infeliz”, “O Feitiço da Vila”, “Três apitos” e “Mentiras de Mulher”.
Dia 7 de dezembro – Marina de la Riva e Benjamim Taubkin
Entre alguns temas instrumentais, Benjamim Taubkin irá interpretar “Fita Amarela”, “Coração”, “O Pulo da Hora”. Já Mariana de la Riva vai cantar uma versão em ritmo de salsa para “A melhor do Planeta” e “O xis do problema”, entre outras.
Dia 14 de dezembro – Arto Lindsay, Kassin, Moreno Veloso, Domenico Lancelotti, Pedro Sá e Luís Filipe de Lima
No repertório canções como “Mulata Fuzarqueira”, “Tarzan, o Filho do Alfaiate” e “Conversa de Botequim”.

Noel Rosa – Um Novo Século
As apresentações acontecem no Teatro do CCBB-SP sempre às terças-feiras, (dias 23 e 30/11, 7 e 14/12), em dois horários: às 13h e às 19h30.
Os ingressos custam de R$ 3,00 a R$ 6,00.Encontros -
Centro Cultural Banco do Brasil
Rua Álvares Penteado, 112 - Centro - São Paulo
Informações: (11) 3113-3651 / 3113-3652

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Show Nego no Teatro Alfa

Amanhã dia 18 de novembro, o Centro da Cultura Judaica traz um show inédito e exclusivo para São Paulo. O projeto Nego estará de volta e, desta vez, será aberto ao público e acontecerá no palco do Teatro Alfa, a partir das 21h. A apresentação contará com a presença de grandes estrelas da MPB que participaram do CD lançado em 2009, que traz releituras de clássicos do jazz norte-americano compostos originalmente por autores judeus.
O espetáculo, que servirá para arrecadar fundos para as programações gratuitas do Centro, contará com a participação de Dominguinhos, Gal Costa, Moreno Veloso, Ná Ozzetti, Paula Morelenbaum, Wilson Simoninha, Zélia Duncan, Jaques Morelenbaum, Alberto Continentino, David Feldman, Gabriel Improta e Marcelo Costa. No repertório, novas versões de clássicos do jazz americano do início do século 20, que receberam toda a ginga brasileira assinada por Carlos Rennó e Jaques Morelembaum.
O projeto NegoCom versões escritas pelo letrista, produtor e jornalista Carlos Rennó e arranjos assinados pelo maestro, produtor e violoncelista Jaques Morelenbaum, o CD, lançado em 2009, reúne um seleto time da MPB, que deu forma a uma obra-prima da música.
A iniciativa do Centro da Cultura Judaica tornou possível reunir num mesmo álbum artistas como Carlinhos Brown, Dominguinhos, Elba Ramalho, Emílio Santiago, Erasmo Carlos, Gal Costa, João Bosco, João Donato, Luciana Souza, Maria Rita, Moreno Veloso, Ná Ozzetti, Olivia Hime, Paula Morelenbaum, Seu Jorge, Wilson Simoninha e Zélia Duncan, que dão novas vozes a músicas que marcaram a história, como "Strange Fruit", "Ol' Man River", "Summertime" e "How Deep Is the Ocean", entre muitas outras.
O projeto é uma consequência natural da missão do Centro, que é estabelecer vínculos positivos entre a comunidade judaica e a sociedade brasileira por meio da divulgação do patrimônio cultural, com o objetivo de fomentar a integração e o respeito entre os povos e o perfeito entendimento da paz."
O CD Nego, idealizado e realizado pelo Centro da Cultura Judaica, foi um marco. Reunimos um time de astros da MPB, fazendo um encontro entre a velha guarda e os novos talentos. O fato de as canções terem sido escritas por judeus, ganharem o mundo por meio dos negros e serem interpretadas por cantores brasileiros traz uma pluralidade única, que reforça ainda mais o nosso posicionamento de aproximar diversas culturas", diz Yael Steiner, diretora-executiva do Centro.
Apesar de as composições originais serem todas norte-americanas, Jaques Morelenbaum e Carlos Rennó fizeram questão de que o projeto transbordasse brasilidade e ginga, tanto na parte lírica quanto na musical. "Quando surgiu a ideia de escrever essas versões, concluímos que, além das letras, seria ótimo dar uma musicalidade brasileira a essas canções", diz Jaques Morelenbaum.
Outros grandes instrumentistas brasileiros, como Toninho Horta, Hamilton de Holanda e Leo Gandelman, participaram das gravações. Desde o final do ano passado, o álbum é distribuído no mercado pela gravadora Biscoito Fino.

Show Nego com Gal Costa, Zélia Duncan, Dominguinhos e Simoninha, entre outros.
Dia 18 de novembro - 21h
Teatro Alfa
Rua Bento Branco de Andrade Filho, nº 722 - Santo Amaro
Tel.: Bilheteria do teatro (11) 5693-4000 e 0300-7893377
R$ 80,00

terça-feira, 16 de novembro de 2010

José e Pilar

Hoje José Saramago faria 88 anos e coincidentemente escrevo sobre o brilhante filme José e Pilar.
Aparentemente um documentário sobre a vida íntima do Prêmio Nobel de Literatura com sua esposa Pilar del Rio, mas logo se percebe uma incrível relação amorosa entre duas pessoas que se respeitam e se admiram que bem poderiam ser uma bela ficção.
O diretor Miguel Gonçalves Mendes e sua equipe acompanharam o casal durante três anos mostrando o dia-a-dia deles na sua casa em Lanzarote e em viagens de trabalho por todo o mundo.
O longa apresenta o processo de criação, produção e promoção do romance A Viagem do Elefante, desde o momento da construção da história em 2006 até o lançamento do livro no Brasil em 2008. E é que no Brasil que vemos Saramago declarar em uma palestra seu amor por Pilar. Ele afirma: “Se eu tivesse morrido aos 63 anos antes de lhe ter conhecido, morreria muito mais velho do que serei quando chegar a minha hora”.
Coube a Violante, filha de Saramago, a manifestação de descontentamento com Portugal em relação a seu pai. Ela questiona o motivo de Portugal não render homenagens a Saramago enquanto outros países o admiram mesmo não sendo de língua portuguesa.
Vemos no filme José e Pilar divergirem totalmente sobre as eleições americanas. Pilar defendia que Hillary devia ganhar porque representava as mulheres e os lugares de poder não chegam às mulheres. E José não confiava em Hillary, achava que isso não era relevante, e defendia as opiniões de Obama.
Enfim, temos um Saramago solícito, pois faz questão de dar intermináveis autógrafos. Alguém que queria melhorar o mundo por meio do impacto que suas opiniões podiam ter em seus leitores e admiradores. Além de seu ótimo senso de humor com observação simples e engraçadas.
Sobre a morte Saramago responde: "Medo? Não. A morte para mim é a diferença entre estar e já não estar".

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Aniversário de 5 anos do Studio SP

Neste mês de novembro o Studio SP comemora 5 anos. O início foi na Vila Madalena e 3 anos depois se mudou para a Rua Augusta, pois segundo Ale Youssef, um dos sócios "Ali está o futuro". Ao ser responsável artístico por um novo espaço para reconhecimento e difusão de talentos musicais brasileiros, Youssef estava deixando a Vila, levando o Studio SP, rumo ao centro. "Não vejo mais no bairro os artistas e os produtores de vanguarda."
Visionário foi co-responsável pela revitalização da região conhecida como Baixo Augusta, que já estava sendo alterada pela presença de grupos de teatro como Os Satyros e Parlapatões na Praça Roosevelt. Outras baladas como Vegas, Outs, Inferno também se instalaram ali.
O Projeto "Cedo e Sentado”nasceu com o intuito de abrir espaço para novos artistas apresentarem seus trabalhos e oferecendo a possibilidade do público assistir a isso de graça e mais cedo. O Studio também já recebeu Céu, Cibelle, Otto entre outros.
No último carnaval recebeu os foliões do bloco carnavalesco Acadêmicos do Baixo Augusta que desfilou pelas ruas da região. Bloco idealizado pelos sócios do Sonique, Studio SP e amigos.
A festa de comemoração vai rolar no dia 25. O Instituto, grupo liderado por Daniel Ganjaman sobe ao palco acompanhado de músicos como Junior Boca, Marcelo Munari, Zé Nigro, Samuel Fraga, Fernando Bastos,e Edy Trombone, Rubinho Antunes, Bocão, além do MC Kamau. Convida Emicida, Curumin e Anelis Assumpção. A balada se estende para a casa vizinha, o Comitê Club, que recebe, no mesmo dia, o grupo chileno-alemão Señor Coconut.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

O Egito sob o Olhar de Napoleão

Em 1798, o então jovem general francês Napoleão Bonaparte tomou as cidades de Alexandria e Cairo com o intuito de anexar o Egito ao Império em franca expansão. Após sucessivas batalhas que resultaram em um exército dizimado e desmoralizado, o general decidiu abandonar a campanha e regressar à França.
Apesar da derrota, ele conseguiu o que pode ser considerado, talvez, seu maior legado: a publicação do multivolume Description de L’Egypte, amplamente reconhecido como o mais importante estudo erudito europeu do Egito antigo e moderno.
Este é o foco da exposição O Egito sob o Olhar de Napoleão, que reúne 21 volumes da obra Description de L’Egypte, pertencentes ao acervo do Itaú Unibanco. Os livros contêm estudos de arqueologia, topografia, religião e história natural realizados por uma equipe de 167 especialistas de diversas áreas. Sob curadoria de Vagner Carvalheiro Porto e consultoria científica de Antonio Brancaglion Junior, a mostra exibe ainda objetos egípcios do Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro e de coleção particular, além de trazer 14 matrizes de cobre cedidas pelo Museu do Louvre e 13 telas com imagens dos livros, que podem ser manuseadas pelos visitantes.

O Egito sob o Olhar de Napoleão
até 19 dezembro
de terça a sexta das 9h às 20h
aos sábados domingos e feriados das 11h às 20h
Itaú Cultural
Avenida Paulista, 149
São Paulo
(11) 3251-0696
Grátis

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Raul de Souza comemora 55 anos de carreira

Um dos maiores trombonistas do mundo, Raul de Souza, fará uma única apresentação em São Paulo, em 09 de novembro. O show faz parte da turnê em comemoração aos 55 anos de carreira do instrumentista carioca.
“Estou muito feliz por chegar aos 55 anos de carreira, Não foi fácil. Mas a vida também não é só tristeza. Eu tive muitas alegrias. Eu estou muito feliz. Com saúde, cabeça jovem e espírito jovem”, fala Raul dando risada.
Acompanhado do grupo curitibano NaTocaia, Raul apresenta ao público o que anos de experiência e muito talento podem fazer com as habilidades de um músico como ele. Considerado uma referência da música instrumental em todo o mundo, ele já tocou ao lado de Tom Jobim, Hermeto Pascoal, Sarah Vaughan, George Duke, Stanley Clarke, Ron Carter, Sérgio Mendes, Eumir Deodato, Flora Purim, Milton Nascimento, João Donato, Toninho Horta, Djavan entre outros.
Souza apresenta um repertório que conta com composições próprias, como “À Vontade Mesmo” e “Jump Street”, mas abre espaço para “Inútil Passagem” de Tom Jobim e “Sweet Lucy” de George Duke. Pixinguinha, Glauco Sölter e Djavan também compõem o repertório deste show.

Raul de Souza 55 Anos e NaTocaia
Dia o9 de novembro – 21h00
Teatro FECAP
Avenida da Liberdade, 532 – São Paulo
(11) 4003-1212
Ingressos: R$ 5,00( inteira) | R$ 2,50 (meia)

terça-feira, 2 de novembro de 2010

O Lado de Lá - Angola, Congo, Benin

Para celebrar o mês da consciência negra, a Pinacoteca do Estado de São Paulo apresentará a exposição O Lado de Lá - Angola, Congo, Benin, do fotógrafo Ricardo Teles . São cerca de 30 imagens em Preto e Branco realizadas entre 2005 e 2010, que revelam elementos e simbologias culturais que conectam estes países ao Brasil.
São cenas da vida cotidiana, celebrações que unem arte e religiosidades, retratos de pessoas e de monumentos históricos, como o Portal do Não Retorno, erguido na década de 1990, na República do Benin, em memória dos escravos que partiram em direção ao Brasil. “Com morfologia semelhante a do Arco do Triunfo de Paris (mas com carga simbólica oposta) o Portal era a última etapa antes do embarque definitivo nos navios negreiros”, afirma Diógenes Moura, curador da mostra.
Ricardo Telles afirma que O Lado de Lá tem como foco reencontrar o conhecimento no Brasil sobre a África através de um ensaio fotográfico que retrata o cotidiano dos países de origem das populações afro-brasileiras, especialmente em pontos marcantes da África ligadas a nossa história: Angola, Congo e Benin. É uma viagem ao passado que nos une no presente. A intenção é mostrar como andam hoje estas distintas culturas do lado de lá do Atlântico, e a troca, influência que o Brasil exerce além do passado e na atualidade destes locais.

O Lado de Lá - Angola, Congo, Benin
De 20 de novembro até 09 de janeiro de 2011
Pinacoteca do Estado de São Paulo
Praça da Luz, 2 São Paulo, SP
Tel. (11) 3324-1000
Terça a domingo das 10h às 17h30 com permanência até as 18h
Ingresso: R$ 6,00 e R$ 3,00
Grátis aos sábados

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

4ª Semana Ticket Cultura & Esporte

A Semana Ticket Cultura & Esporte chega à sua 4ª edição reunindo mais de 200 atividades gratuitas nas áreas de circo, música, cinema, teatro (infantil e adulto), artes visuais, incentivo à leitura, educação ambiental e esporte. Entre os dias 5 e 15 de novembro de 2010, a 4ª Semana Ticket Cultura & Esporte traz o conceito “A cidade é um espetáculo”, enfatizando a distribuição de atividades em diversas regiões da capital paulista.
O objetivo principal é levar cultura, esporte e educação ambiental por meio de uma programação de qualidade e totalmente gratuita, atingindo assim o maior número de pessoas possível, em todas as regiões de São Paulo.
A cantora Mariana Aydar será a atração principal do evento de lançamento da 4ª Semana Ticket Cultura & Esporte. O show – com entrada franca – ocorre no dia 03 de novembro, às 21h, no HSBC Brasil.

Promovida pela Ticket, a Semana Ticket Cultura & Esporte ocorre no mês em que é comemorado o Dia Nacional da Cultura (5 de novembro), data importante no calendário da cidade. Essa iniciativa foi motivada por um estudo do Ministério da Cultura que mostra que 92% dos brasileiros nunca visitaram museus e apenas 13% vão ao cinema, ao menos uma vez por ano. O levantamento revela ainda que apenas 2% da população frequenta circos e 5%, teatros. A pesquisa também relata que a principal causa desse fenômeno é a falta de recursos financeiros e a expectativa da empresa é atrair cerca de 100 mil pessoas durante os onze dias de programação. “A Ticket vê como essencial a realização de programas e ações que ofereçam acesso e democratização da cultura e sirvam como base para o desenvolvimento do trabalhador brasileiro. Com a Semana, reforçamos nosso compromisso social, além de fomentar e valorizar a cultura nacional”, afirma Gustavo Chicarino, diretor de Estratégia, Marketing e Produtos da Ticket.
Criada em 2007, a iniciativa já impactou mais de 150 mil pessoas em três edições e teve a cada ano a ampliação do número de atividades. A primeira edição focou as áreas de cinema e artes visuais, com 24 pontos de exibição de filmes na periferia da cidade, além do acesso gratuito à Pinacoteca e ao MAM. Já no ano seguinte, 2008, com parceria da Secretaria Municipal de Educação, houve uma ampliação das atividades: 35 pontos de exibição de filmes e espetáculos, incluindo 20 CEUs, além do Cine Olido, Teatro Jaraguá, Parque do Ibirapuera, Circo Zanni e acesso gratuito ao MAM. Em 2009, além das atividades culturais a Semana incluiu também oficinas esportivas nos CEUs e atingiu um público de mais de 80 mil pessoas. E, para 2010, a grande novidade é a presença de uma biblioteca móvel e a concentração das atividades para facilitar o acesso a toda programação. Além disso, clínicas esportivas de aperfeiçoamento para os professores da rede municipal de ensino acontecem durante todo o ano.
Além de Mariana Aydar destaco também Nelson Ayres Trio (dia 15 de novembro, às 13h30 – Praça Victor Civita) Praça Victor Civita - Rua Sumidouro, 580
Verônica Ferriani & Chico Saraiva (dia 13 de novembro, às 13h – Praça Victor Civita) e a exibição dos filmes: O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias, Romance.


Mariana Aydar - Show de abertura da 4ª Semana Ticket Cultura & Esporte
Dia: 03 de novembro, às 21h
HSBC Brasil
Rua Bragança Paulista, 1281, Chácara Santo Antônio
Ingressos: Grátis(Serão oferecidas até quatro entradas por espectador)
Retirada nos dias 29 e 30 de outubro e 03 de novembro, na bilheteria do HSBC Brasil, das 12h às 22h
Capacidade: 2000 lugares


Verônica Ferriani & Chico Saraiva
Dia 13 de novembro, às 13h – Praça Victor Civita
Praça Victor Civita - Rua Sumidouro, 580
Grátis

Nelson Ayres Trio
Dia 15 de novembro, às 13h30
Praça Victor Civita - Rua Sumidouro, 580
Grátis

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Lugares, Estranhos e Quietos

Começou a exposição "Lugares, Estranhos e Quietos", no Masp. São 23 fotografias inéditas do diretor de cinema, Wim Wenders e integram a 34ª Mostra Internacional de São Paulo. Uma das fotos, tirada na Austrália é um dos pôsteres do festival.
Diversas paisagens ao redor do mundo foram clicadas por Wenders entre 1983 a 2010. As imagens expostas tem dimensões grandes, alguns quadros com mais de quatro metros e retratam vários países, como Israel, Armênia e Estados Unidos. O Brasil também entrou na seleção, um muro com desenhos em Salvador e o topo de um arranha-céu em São Paulo. Há também uma referência ao país em uma outra foto, tirada em um túnel de trem em em Wuppertal, na grande Düsseldorf (cidade em que Wenders nasceu) de uma obra dos Osgemeos, os grafiteiros brasileiros Otávio e Gustavo Pandolfo.
Em seus retratos há poucas pessoas, e quando essas aparecem estão de costas ou ao fundo nas paisagens.

Lugares, estranhos e quietos
Masp
av. Paulista, 1578 - Cerqueira Cesar, São Paulo
De 21 de outubro a 16 de janeiro de 2011.
Tel. (11) 3251-5644.
Terças, quartas, sextas, sábados, domingos e feriados, das 11h às 18h; quintas, das 11h às 20h. A bilheteria fecha uma hora antes.
Ingressos: R$ 15 (grátis nas terças).

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Red Bull Sounderground - 1º Festival Internacional de Músicos de Metrô

Cenário pouco usual para músicos, o Metrô de São Paulo será palco de um encontro internacional inédito, o Red Bull Sounderground - 1º Festival Internacional de Músicos de Metrô. Cerca de 20 artistas, de 10 cidades diferentes do mundo, estarão espalhados pelas estações do metrô paulistano durante a semana de 08 a 12 de novembro. O encerramento será uma grande jam session no dia 12, sexta, prevista para a estação da Sé. A entrada para conferir a programação de shows será a passagem de metrô.
Participarão deste evento inédito artistas das seguintes cidades: Barcelona, Berlim, Londres, Moscou, São Petersburgo, São Paulo, Paris, Montreal, Nova York e Cidade do México.
A escolha de sediar o festival em São Paulo é o de atrair a atenção para a criação deste espaço que ainda não existe por aqui. “O festival tem esse potencial; o de transformar os metrôs onde o músico ainda não é permitido em lugares em que a música e estes artistas fazem parte do ambiente para o deleite dos usuários”, diz Marcelo Beraldo, produtor cultural. Sua viagem de volta ao mundo, realizada no segundo semestre de 2009 e na qual registrou a performance de músicos de metrô em mais de 17 cidades, foi o pontapé inicial que resultou no Red Bull Sounderground.
O repertório dos artistas será todo instrumental e os estilos musicais passeiam por várias partes do mundo. Haverá desde MPB, passando pelo clássico, blues, jazz, choro, rock e reggae. Até as tradicionais milongas do tango argentino, tocada por uma dupla radicada em Paris, e o ragtime – ritmo que ditou moda nos Estados Unidos dos anos 20 – vão tocar pelas estações do Metrô durante o festival.
A programação das apresentações será:
De 08 a 11 de novembro, segunda a quinta - apresentações simultâneas em 10 estações do Metrô, sempre das 11h às 13h e das 17h às 19h.
Dia 12 de novembro, sexta – jam session com a participação de todos os artistas, às 17h na Estação da Sé.*Estações:
Linha 1 - Azul: Luz;
Linha 2 - Verde: Ana Rosa, Vila Madalena;
Linha 3 – Vermelha: Corinthians-Itaquera, Tatuapé, Brás, Sé, Anhangabaú, República, Palmeiras-Barra Funda;
Os critérios de seleção levaram em conta o carisma, originalidade e criatividade. Além disso, a adaptabilidade da performance dos artistas aos pré-requisitos do festival não ficou de fora. Fazem parte dela o uso de amplificadores com potência até 60 Watts e somente baterias elétricas. Instrumentos de percussão ou bateria e a participação de DJs não serão permitidos. Aliás, vale ressaltar que não haverá fonte de energia elétrica disponível para as apresentações.
“A proposta do festival é a de oferecer apresentações intimistas, o que vai permitir um contato maior do artista com o público. Pelas experiências que já realizamos com músicos nas nossas estações, quem assiste sempre aplaude o artista”, diz Aluízio Gibson, Chefe do Departamento de Marketing Corporativo do Metrô. Público potencial não irá faltar. Atualmente, circulam pelo Metrô de São Paulo aproximadamente 3,5 milhões de usuários por dia.

sábado, 16 de outubro de 2010

Talentos Bohemia

O projeto promove talentos da música brasileira através de apresentações gratuitas realizadas no Centro Cultural Rio Verde. Os participantes terão seus trabalhos documentados em uma videorreportagem especial, que será difundida na internet.
A estreia do Talentos Bohemia contará com show do projeto Padê, dia 24 de Outubro, domingo. A discotecagem fica por conta do DJ Formiga.
Artistas participantes:
Padê
Projeto musical desenvolvido na linha afro-brasileira contemplado pelo Prêmio Ney Mesquita da Cooperativa de Música de São Paulo. É composto pelo cantor e compositor Kiko Dinucci, pela cantora Juçara Marçal e pelo saxofonista Thiago França. O grupo se apresenta dia 24 de Outubro.
Anelis Assumpção
Filha de Itamar Assumpção, um dos grandes nomes da música paulistana, Anelis é cantora, compositora e percussionista. Encontra o ponto certo do molho na mistura de uma descompromissada poesia com um balanço refogado na fervura do samba, do reggae, do hip hop e da vanguarda paulistana. Sua apresentação será no dia 21 de Novembro.
Marcelo Jeneci
Compositor que tem o trabalho calcado em sua própria vivência musical. O instrumentista comemora seus mais de dez anos de estrada como músico acompanhante de diversos nomes da música popular brasileira. Agora, alça voos mais longos através de suas próprias canções e lança o primeiro trabalho solo. O show acontece dia 5 de Dezembro.

Talentos Bohemia
Centro Cultural Rio Verde
Rua Belmiro Braga, 119 - Vila Madalena, São Paulo
Abertura da casa: 18h
Início do show: 20h
Tel: 3459-5321

Grátis

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Tropa de Elite 2 - O inimigo agora é outro

O título do filme poderia ser Capitão Nascimento versus " O Sistema". Afinal o inimigo em questão é a rede de corrupção que envolve polícia, milícia, deputados e até mesmo o governador.
Agora o Cap. Nascimento é promovido a tenente-coronel e subsecretário de inteligência da Secretaria de Segurança do Rio de Janeiro. No comando, ele faz do Batalhão de Operações Especiais, o BOPE, uma máquina exterminadora do tráfico de drogas. E se depara com inimigos muito mais fortes.
O diretor e co-roteirista José Padilha detalha cada componente do "Sistema". Temos os corruptos, a mídia, os defensores dos direitos humanos, a população que consome o "gatonet", etc.
E é aqui que proponho um olhar mais atento. Se no primeiro Tropa, quem financiava o tráfico eram os "consumidores". Fica a questão: quem colabora com os políticos corruptos? Quanto você alimenta o "Sistema" ao comprar produtos piratas? Quanto você contribui ao oferecer um "cafezinho" para o policial rodoviário?
Em Tropa 2, Nascimento fala que quando um PM puxa o gatilho ele não puxa sozinho.
Padinha batizou o personagem central de Nascimento fazendo uma referência a Sandro Nascimento, sobrevivente da chacina na Candelária e que posteriormente seqüestrou o ônibus da linha 174.
Para Rousseau: "O homem é bom por natureza. É a sociedade que o corrompe". Até que ponto Nascimento é fruto da sociedade? Entendo que sua violência vem do meio que ele vive, mas seus ideais continuam intactos. Ao chegar na Secretária de Segurança ele acha que vai poder mudar as coisas. Mesmo diante de tantas adversidades ele ainda acredita em acabar com a bandidagem e defender seu batalhão.
O elenco é muito bom, com destaque para André Mattos (Fortunato), Millhen Cortaz (Cap. Fábio) e Iradhir Santos (Fraga). Já Wagner Moura rouba quase todas as cenas do filme. Merece o Oscar!

domingo, 10 de outubro de 2010

34ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo


De 22 de outubro a 4 de novembro, acontece em São Paulo a tradicional Mostra Internacional de Cinema. Durante duas semanas, a 34ª Mostra Internacional de Cinema propicia que cinéfilos acompanhem mais de 400 títulos dos mais variados países e de diversas cinematografias que estarão sendo exibidos em mais de 20 espaços, entre cinemas, museus e centros culturais espalhados pela capital paulista.
A Mostra também contará com uma outra exposição: intitulada "Lugares, Estranhos e Quietos", ela se realizará no Masp entre 20 de outubro e 9 de janeiro de 2011, e contará com fotografias inéditas do cineasta alemão Wim Wenders, que também terá seu livro de fotos lançado pela editora Imprensa Oficial dentro da própria Mostra.
Para a abertura desta edição, foi escolhido "O Estranho Caso de Angélica", filme dirigido por Manoel de Oliveira que abriu a seção Um Certain Regard do Festival de Cannes de 2010. Como acontece em todas as edições dos festivais, a Mostra contará com retrospectivas e homenagens: os cineastas F J Ossang e Serge Avedikian terão suas obras revistas e irão acompanhar o festival de perto. As homenagens serão feitas ao cineasta norueguês Bent Hamer e à atriz alemã Hanna Schygulla.
Uma das exibições especiais desta edição é a apresentação, pela primeira vez no Brasil, da nova cópia restaurada do clássico de Fritz Lang, “Metropolis” (1927). Exibido pela primeira vez em Berlim, em janeiro deste ano, a cópia traz 25 minutos de material perdido inédito, encontrado no Museu do Cinema de Buenos Aires, em julho de 2008. A exibição da cópia acontece no dia 24 de outubro, às 20h, no gramado do auditório do Ibirapuera, e terá acompanhamento da orquestra Jazz Sinfônica, com regência do maestro João Maurício Galindo. Antes da exibição, às 19h, os alunos da Escola do Auditório do Ibirapuera farão uma apresentação.

De 22 de outubro a 4 de novembro
Pacotes variam de R$90 a R$390

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Ilú Obá de Min na 1ª Mostra Mangue Cultural

O Ilú Obá de Min vai se apresentar domingo naMostra Mangue Cultural. O projeto que acontece das 16h às 18h, todos os domingos desde junho, no espaço aberto da Praça Eder Sader.
O Ilú Obá De Min – Educação, Cultura e Arte Negra é uma entidade feminina, sem fins lucrativos, que surgiu ao longo de vinte anos de pesquisa-ação desenvolvidas com variados grupos sociais tendo como base, as culturas de matriz africana e afro-brasileira.
O objetivo da entidade é preservar e divulgar a cultura negra no Brasil.
Já pude conhecer dois dos projetos que o Ilú Obá realiza:
- Bloco Afro Ilú Obá De Min:cujo objetivo é divulgar as tradições percussivas, musicais e coreográficas africanas e afro-brasileiras a partir de oficinas de rua para mulheres.
- Banda Ilú Obá De Min:cujo objetivo é a pesquisa musical de matriz africana e afro-brasileira e sua divulgação. Composta por 30 mulheres ritmistas tocando djembês, alfaias, ilús, agogôs e xequerês.
Imperdível!

Ilú Obá de Min - 1ªMostra Mangue Cultural
10 de outubro
R. Fidalga, 800, Vila Madalena, São Paulo
16h
Grátis

domingo, 3 de outubro de 2010

5ª Mostra Paulista de Cinema Nordestino

O Sesi-SP sediará a 5ª Mostra Paulista de Cinema Nordestino, de 04 de outubro a 9 de dezembro, com exibição de 14 longas-metragens e 37 curtas-metragens em 319 sessões gratuitas.
O Sesi Cinema na contínua difusão do cinema nacional destaca a rica produção nordestina. Em sua 5ª edição, a Mostra Paulista de Cinema Nordestino visa fomentar esse importante pólo de produção audiovisual e de organização de festivais cinematográficos, além de atrair o público retratado e de grande contingência em São Paulo, o próprio povo nordestino.
A seleção reuniu 51 títulos de diversos períodos e estados Nordestinos, dos quais destacam-se 14 longas-metragens:

O Homem que Engarrafava Nuvens;
O Céu de Suely;
Ai que vida!;
O Coco, a Roda, o Pneu e o Farol;
Um Lugar ao Sol;
O Crítico;
Cinema, Aspirinas e Urubus;
Siri-Ará;
KFZ –1348, Um Fusca, Oito Donos, Oito Histórias;
Patativa do Assaré - Ave Poesia.
Amigos de Risco
O Rap do Pequeno Príncipe Contra as Almas Sebosas
Árido Movie
Entre o Amor e a Razão.

A intensa produção de animações e curtas-metragens estará reunida em quatro sessões especiais e uma sessão de curtas infantis, que será exibida na semana do dias das crianças.
Os filmes serão exibidos em formato DVD em sessões semanais e gratuitas nas seguintes cidades: Araraquara, Birigui, Franca, Itapetininga, Marília, Mauá, Mogi das Cruzes, Osasco, Ourinhos, Piracicaba, Rio Claro, Santo André, Santos, São José do Rio Preto, São José dos Campos, Sorocaba e São Paulo (Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso, Vila Leopoldina e Vila das Mercês).
Para enriquecer a mostra será oferecido em cada unidade um debate sobre o a produção audiovisual do nordeste e sua importância na história do cinema nacional.
Promovido pelo Sesi-SP, entidade do Sistema Fiesp, a mostra dá continuidade ao projeto Sesi Cinema, criado em 2005. O objetivo é democratizar o acesso às produções e oferecer, através de mostras temáticas, um panorama variado e rico da cinematografia mundial, em particular o nacional, no intuito de formar platéia para a arte cinematográfica.

5ª Mostra Paulista de Cinema Nordestino
De 04 de outubro até 09 de dezembro de 2010
Em 19 unidades do SESI-SP: Araraquara, Birigüi, Franca, Itapetininga, Marília, Mauá, Mogi das Cruzes, Osasco, Ourinhos, Piracicaba, Rio Claro, Santo André, Santos, São José do Rio Preto, São José dos Campos, Sorocaba, Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso, Vila Leopoldina (Capital) e Vila das Mercês (Capital)
Informações: (11) 3146-7423 / 7436 / 7428
Grátis

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Prepare: Teresa Salgueiro em Sampa

De volta ao Brasil, Teresa Salgueiro fará duas apresentações em São Paulo no Teatro Alfa, nos dias 27 e 28 de novembro. Voltarei à minha Terra é a nova viagem de Teresa Salgueiro através da memória coletiva da Música Portuguesa.
Uma das fundadoras do mais famoso grupo português Madredeus, Teresa Salgueiro iniciou a sua carreira como intérprete e foi rapidamente reconhecida nacional e internacionalmente como uma das maiores vozes de Portugal.
Com o Madredeus gravou mais de doze cd’s premiados e vendeu mais de cinco milhões de discos em todo o mundo.
Em 2006, Teresa Salgueiro lançou pela primeira vez em solo o álbum intitulado ‘Obrigado’ (editado em 2005 pela EMI Music). Neste trabalho, Teresa Salgueiro homenageou todos os intérpretes, compositores e autores que com ela colaboraram ao longo dos seus vinte anos de carreira artística. O álbum reúne duetos com Maria João e Mário Laginha, Caetano Veloso, Gal Costa, Jah Wobble, entre outros.
De volta ao Brasil, Teresa Salgueiro estará em turnê no período de 17 de novembro a 05 de dezembro, passando por diversas cidades brasileiras.

Voltarei à minha Terra - Teresa Salgueiro
Teatro Alfa
Rua Bento de Andrade Filho, 722 - Santo Amaro
(11) 5093-4000 ou 0300 789 33 77
Dias 27 de Novembro às 21h30 / 28 de Novembro às 19h30
Ingressos: R$ 80 a R$180

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

O Livreiro de cara nova

A rede social O Livreiro acaba de lançar uma campanha online para divulgar sua nova versão. A ação, que recebeu o conceito “Conheça a rede social para quem gosta de ler”, foi planejada pela agência Adbat, e traz banners específicos para públicos dos principais blogs e sites de comunicação e entretenimento da atualidade. Nas peças, personagens muito conhecidos dos quadrinhos, do cinema e da literatura são citados de forma enigmática em frases que remetem às atividades do Livreiro.
A ideia é chamar o interesse dos internautas para a rede desafiando-os a descobrir qual figura está sendo mencionada em cada uma das peças produzidas. Além disso, haverá podcasts, videocasts e posts exclusivos.
O Livreiro é uma rede social dedicada aos amantes da leitura e da cultura. É o ponto de encontro para a troca de ideias com amigos e para conhecer pessoas, escritores e obras, fazer novas amizades, debater assuntos divertidos e interessantes e inspirar-se, fazendo uma viagem pelo mundo literário.
No Livreiro há lugar para debates e contribuições dos participantes sobre todo tipo de livro: os romances, os de poesia, história, música, tecnologia, comportamento, quadrinhos, filosofia, gastronomia, ficção, não-ficção, os clássicos... e o que mais pintar. E há também muito espaço para trocar ideias e colaborar com conteúdo sobre diversos outros assuntos, principalmente os que estão ligados direta ou indiretamente ao universo dos livros.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Inimigos de Gil Vicente na Bienal SP

A 29ª Bienal de São Paulo só abre as portas para o público no próximo sábado (25/09), mas já tem provocado muita polêmica. Graças a nota pública emitida pela OAB/SP pedindo aos curadores do evento para retirar da mostra a série Inimigos de 2005 do artista pernambucano Gil Vicente.
Assinada pelo presidente Luiz Flávio Borges D'Urso, a nota cita as telas em que aparecem FHC e Lula e alega que: "Essas obras, mais do que revelar o desprezo do autor pelas figuras humanas que retrata como suas vítimas, demonstra um desrespeito pelas instituições que tais pessoas representam, como também o desprezo pelo poder instituído, incitando ao crime e à violência".
Os curadores Moacir dos Anjos e Agnaldo Farias negaram o pedido de D'Urso e o dirigente da OAB acionou o Ministério Público de São Paulo nesta segunda-feira, 20, para que seja apurado o crime de apologia ao crime.
Questionado se o pedido era censura ele respondeu: "Censura não há. O que existe, ao meu ver, é uma manifestação que caracteriza crime. A apologia do crime é crime no Brasil. E entendo que as obras, no seu contexto, fazem apologia do crime" - alegou D'Urso.
Em Inimigos, Vicente denuncia um esgotamento que, em muitas ocasiões, tem levado ao confronto violento. Em seu trabalho, Gil Vicente não busca a confusão entre arte e crime, mas antes a substituição do crime como ato pela criação de sua imagem explícita. O que está em jogo é menos a afirmação de uma causa específica e mais o repúdio simbólico a qualquer forma de exercício institucionalizado de poder.
Eu entendo que arte é expressão de pensamento e também deve provocar reflexão. Diante disso Gil Vicente conseguiu ter sucesso em seu trabalho.

29ª Bienal de São Paulo
De 25 de setembro a 12 de dezembro
Horários de funcionamento
De 2ª a 4ª feira das 9 às 19h
5ª e 6ª feira das 9 às 22h
Sábado e domingo das 9 às 19h
(entrada admitida até uma hora antes do fechamento)
Entrada gratuita
Parque do Ibirapuera · Portã​o 3
Pavilhão Ciccillo Matarazzo (Pavilhão da Bienal)
São Paulo - SP
(11) 5576 7600​